Especialista no assunto, tudo sobre trabalho em altura

Especialista no assunto, tudo sobre trabalho em altura

ESPECIALISTA NO ASSUNTO, TUDO SOBRE TRABALHO EM ALTURA

Os acidentes em altura são os maiores causadores de vítimas fatais nos locais de trabalho.

Para você entender melhor a gravidade, de acordo com o INSS, quase 15% das mortes ocorridas em local de trabalho foram relacionadas a quedas.

Por conta disso é necessário que os trabalhadores sejam treinados para evitar acidentes e que utilizem os Equipamentos de proteção individual, ou seja EPIs, adequados para a atividade.

A norma NR35 é a que vela pela segurança do trabalho em altura, e é exigido o seu cumprimento, podendo ocorrer multas de até 6 mil reais em caso de descumprimento pelas empresas.

De que altura é possível morrer de queda?

Esse dado é muito relativo, não há estudos que comprovem exatamente pois depende de muitas variáveis, por exemplo, um idoso sofrerá mais danos que alguém jovem.

Alguém mais pesado tem mais riscos de se lesionar com o impacto, mas não garante que pessoas leves não se machucarão.

Quedas causam lesões graves, a gravidade vai variar de acordo com a altura e posicionamento durante a queda, pode ser grave quedas acima de 1 metro e 80 e de cabeça ou em pé.

Acidentes envolvendo quedas são frequentes na construção civil e são responsáveis pelo menos por 40% dos acidentes de trabalho dos trabalhadores de alturas.

Uma queda pode causar lesões extremamente graves se não for utilizado EPIs, tais como:

  • Fratura craniana deprimida
  • Contusão cerebral
  • Hemorragia intracraniana
  • Contusão pulmonar
  • Ruptura dos brônquios
  • Ruptura da aorta
  • Fratura de ossos
  • Fratura do esterno
  • Fratura da coluna espinhal
  • Lesões no abdômen, intestinos e lacerações dos órgãos.

Ou seja, o que determina sua integridade ao trabalhar com alturas é o EPI que você utilizará.

Como prevenir o risco de morte?

Mesmo o trabalho em altura sendo um dos que mais exigem cuidados, é possível trabalhar de forma totalmente segura, para isso você precisa seguir algumas recomendações a risca:

  1. Só execute o trabalho se você estiver capacitado e treinado para ele (NR35).
  2. Sempre utilize EPIs para sua segurança.
  3. Não subestime a altura, quedas de lugares baixos podem ser fatais também.
  4. Fique longe de cabos de alta tensão
  5. Execute apenas trabalho que sua empresa garantir as proteções coletivas como as plataformas provisórias, redes de proteção, linha de vida, entre outros.

A importância da supervisão

A supervisão para esse tipo de trabalho é fundamental, sem ela pode haver muitos problemas.

É necessário também que verifique se as condições estão adequadas para aquele trabalho, como por exemplo:

  • Se o colaborador está com os EPI’s adequados
  • Os riscos adicionais precisam ser observados
  • O colaborador tem que ser qualificado para aquele tipo de tarefa
  • As condições meteorológicas devem estar favoráveis, sem vento forte ou chuvas, etc.

O que fica a cargo do empregador?

Se você é empregador, deve se atentar a algumas responsabilidades que só você fica a cargo:

  • Você deve desenvolver o procedimento e atividades rotineiras do trabalho em altura.
  • Ficar atento a situações de risco e suspender o trabalho caso identifique alguma.
  • Precisa adotar providências para o cumprimento das medidas de proteção da NR35
  • Deve assegurar que a Análise de risco (AR) seja realizada, assim como a Permissão de trabalho (PT)
  • Fazer com que os colaboradores utilizem os EPI’s adequados

Com o que o colaborador deve se preocupar?

Se você é colaborador deve se preocupar com sua segurança e a dos seus colegas de trabalho, seguindo essas medidas você já estará mais protegido:

  • Auxilie o empregador a fazer valer a NR35, respeitando o que ele te pedir.
  • Caso observe riscos graves você deve usar o direito de recusa para execução do trabalho
  • Não seja omisso, é necessário que você zele pela sua segurança e pela das pessoas que serão afetadas por atos imprudentes, deslizes, esquecimentos ou ações acidentais.
  • Você deve cumprir o que regulamenta a NR35 e os procedimentos que o empregador solicitar para que você se mantenha seguro
  • Só execute o trabalho se você estiver qualificado para isso
  • Jamais execute o trabalho em altura sem o uso do EPI adequado

Seguindo essas dicas você estará protegido da maioria dos riscos.

Conheça os EPIs essenciais para trabalho em altura

Você vai ver nessa parte do artigo quais são os EPIs indispensáveis para trabalho em altura, faça o correto uso e exija treinamento antes de realizar qualquer atividade que coloque você em risco.

Talabarte

O talabarte é um dispositivo essencial para qualquer trabalhador de altura.

É uma peça conectada ao cinturão do tipo paraquedista, posteriormente é preso a um ponto de ancoragem, o que evita quedas.

Você encontra diversos tipos de talabarte, mas os principais são os simples, duplo e de posicionamento. 

O talabarte simples é o mais leve, confortável e indicado apenas para atividades sem deslocamento.

Já o talabarte Duplo lembra a letra Y. Tem duas pontas e permite a ancoragem e deslocamento com maior facilidade.

Por último, o Talabarte de posicionamento não protege contra quedas e por conta disso precisa ser usado com outro talabarte, serve para se posicionar corretamente e ter as mãos livres.

Cinturão

O cinturão de segurança é essencial para um sistema completo de proteção contra quedas. Em alturas superiores a 2 m, o equipamento precisa ser utilizado.

Você verá em diferentes setores, como por exemplo: manutenção industrial, construção civil, empresas de telefonia e telecomunicação, limpeza de edifícios, fachadas e situações de resgate.

O cinturão de segurança deve ser conectado a um trava-quedas ou talabarte, pois ele funciona como suporte para esses itens.

Cinturão de Segurança 3M Onixy Altiseg Paraquedista 4 Pontos
Cinto de Segurança Polifitema AB-210 Paraquedista 4 Pontos
Cinto de Segurança Dully DLT-030 Paraquedista 5 Pontos

Mosquetão

O Mosquetão é uma peça fundamental para compor o sistema de segurança para trabalho em altura, é um conector utilizado para ancoragens, ascensões, descensões e conexão de acessórios.

É ligada a cordas ou a um equipamento de segurança formado por um elo de metal que possui uma parte móvel.

Cadeira suspensa

A Cadeira Suspensa é normalmente utilizada para serviços em altura ou profundidade.

Deve ser usada em locais onde necessite de movimentação descendo ou subindo, sua estrutura garante trabalhos bem executados e seguros em diversas atividades, como por exemplo, lavagens, reparos e pinturas de edifícios, torres, viadutos entre outros diversos locais da mesma categoria.

Não esqueça que o profissional deve estar devidamente equipado com cinturão tipo paraquedista e trava quedas para se manter seguro.

Por último, certifique-se de que o trabalhador deve estar preso em cabos específicos e distintos dos da cadeira suspensa.

Cadeira Suspensa Dully Para Descida Capacidade de 140Kg
Cadeira Suspensa Celpan Sobe e Desce 120Kg
Cadeira Suspensa Fibramfer para Trabalho em Altura ate 140KG

Trava quedas

O trava queda é um equipamento que, como o nome sugere, evita quedas bloqueando-as, deve ser conectado ao cinturão de segurança e também ao ponto de ancoragem.

A principal diferença entre o talabarte e o trava queda é que esse último bloqueia a queda de forma imediata, o que impede uma possível queda.

No caso do talabarte, permite um leve deslocamento, o que é útil para a execução das atividades em movimento mas possui maior folga para uma queda.

Trava Quedas 3M Nano-Lok Retrátil Duplo Gacho de Alumínio
Trava Quedas 3M Altiseg P/ linha da Vida Com Corda de 12MM
Trava Quedas 3M Altiseg para Cabo de Aço 8MM

Fita de ancoragem

As fitas de ancoragem servem para a montagem de pontos de ancoragem provisórios.

Precisam ser ancoradas em estruturas sólidas e seguras, tome cuidado com estruturas abrasivas ou com arestas cortantes ou cantos vivos, pois podem danificar a fita e causar acidentes.

Qual a corda ideal para trabalho em altura?

Respondendo a essa dúvida de forma rápida, saiba que as cordas de Nylon são as mais resistentes e flexíveis, portanto, as mais recomendadas para o trabalho em altura.

Mas outras cordas de fibra sintéticas também podem ser utilizadas, como as de poliéster, poliéster, polipropileno, polietileno e também kevlar.

Quais são os limites de peso?

Não há uma proibição para o trabalho em altura de pessoas pesadas, mas a indicação pelas normas é de que trabalhadores de até 100kg são aptos para esse tipo de função.

Em caso de dúvidas consulte das normas de EPIs e também na hora de adquirir os EPIs.

Em qual setor devemos utilizar esses EPIs?

Todo setor em que é necessário o trabalho em altura, precisam atender as normas da NR35, que estabelece medidas preventivas para execução desse tipo de trabalho.

Essas atividades listadas, precisam de cuidados especiais e oferecem risco se descumpridas as normas de segurança:

  • Execução de trabalho em plataformas ou andaimes
  • Construção, manutenção e reforma em altura
  • Limpeza ou pintura de fachadas
  • Trabalho em torres de comunicação e transmissão
  • Manutenção de fornos e caldeiras
  • Limpeza e conservação industrial
  • Transporte de carga por veículos automotores
  • Armazenamento de materiais
  • Trabalhos na rede elétrica
  • Qualquer trabalho acima de 2 metros

Não execute o trabalho em altura, se:

  • Os equipametos de segurança não estiverem fortes e estáveis para suportar o seu peso.
  • Não estiver usando equipamento contra queda de objetos
  • Caso o equipamento de trabalho não for inspecionado regularmente ou não estiver com boas condições de uso
  • Não se sentir competente ou bem treinado para o trabalho
  • A equipe para suporte em caso de emergência não estiver disponível
  • Você tiver alguma patologia que possa causar um mal súbito durante o trabalho
  • O local de execução do serviço não estiver devidamente isolado e sinalizado
  • As condições meteorológicas não forem favoráveis, com risco de chuva ou ventania
  • Os pontos de ancoragem não foram bem avaliados e assegurados
  • Você não tem permissão e treinamento para realização do trabalho

Vídeo - Cinto de segurança para trabalho em altura

Agora que você já leu nossa matéria, vamos ver no vídeo com mais detalhes?

No vídeo de hoje vamos falar sobre a importância de uso do cinto de segurança para trabalho em altura, ponto de ancoragem, vamos falar sobre norma regulamentadora nr 35, talabarte e muito mais, vem conferir. Aperta o play!

Fique ligado em nosso canal, Em Manutenção. Se inscreva e veja vídeos com dicas e tutoriais sobre ferramentas, acessórios e diversas máquinas. #FAÇAVOCÊMESMO

Quais os EPIs complementares?

Além dos EPI’s específicos, também é necessária a utilização de outros EPI’s de uso comum, como por exemplo:

Capacete com jugular

Você já viu em nosso blog a importância da utilização de capacetes, suas cores e indicações.

Para o trabalho em altura, o capacete mais indicado é o que com jugular, porque eles evitam que o capacete caia.

O capacete é fundamental para proteger de quedas de objetos e choques na cabeça.

Óculos

São excelentes para proteger o trabalhador de raios solares, ou partículas, o que impede que sua visão fique prejudicada e o trabalho se torna mais seguro.

Existem diversos tipos de óculos de proteção, tudo vai depender do risco ao que o trabalhador está exposto, podendo ser desde a radiação ultravioleta até o risco de queda de objetos ou pedaços de estrutura.

Luvas

As luvas se destacam por proteger as mãos, são indispensáveis durante o manuseio de equipamentos e ferramentas em altura, elas são capazes de evitar lesões e também favorecem a aderência das ferramentas as mãos, dificultando que elas caiam.

Gostou da matéria?

Continue no nosso blog e saiba muito mais sobre equipamentos de proteção individual.

ACOMPANHE A ELASTOBOR
Fique ligado em nossas redes sociais e participe de promoções e sorteios exclusivos.

FICOU ALGUMA DÚVIDA?
Nossa equipe está pronta para te atender:

Curtiu essa matéria?

%d blogueiros gostam disto: